NT 47 - 2017 NATS Ruxolitinibe para Policitemia Vera

Nenhuma Miniatura disponível
Data
2018-04-23
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
Resumo
Ruxolitinibe é eficaz e seguro para o tratamento da policitemia vera? P: paciente portadora de policitemia vera e intolerância a hidroxiureia I: ruxolitinibe. A policitemia vera é uma neoplasia mieloproliferativa crônica, associada a um aumento do risco para trombose e progressão para mielofibrose ou leucemia aguda. É causada, mais frequentemente, pela mutação adquirida da JAK2 V617F, o que resulta em aumento da produção das células vermelhas do sangue (hemácias), frequentemente acompanhadas de aumento das células brancas (leucócitos) e plaquetas. Esse excesso de células “engrossa” o sangue, resultando em trombos, que podem levar a infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral. A idade média de apresentação é em torno dos 60-70 anos de idade, mas 1/3 dos pacientes são diagnosticados antes do 50 anos. Os sintomas associados são queimação nas palmas das mãos e nas plantas dos pés, coceiras na pele (prurido), dores de cabeça, perda de peso, distúrbios visuais, aumento do baço e fraqueza.No caso específico dessa paciente, a justificativa para o uso do ruxolitinibe é a intolerância a hidroxiureia devido anemia, mas o ruxolitinibe também pode levar a esse evento adverso. Assim, pela ausência de clara evidência mostrando que o benefício dessa medicação supera o seu risco, o NATS não a recomenda para esse caso específico. O ruxolitinibe não é aprovado pela ANVISA para tratamento da Policitemia vera. A indicação de bula é para Mielofibrose.
Descrição
Palavras-chave
Policitemia Vera, Ruxolitinibe, intolerância a hidroxiureia, Jakavi®, mielofibrose, neoplasia mieloproliferativa crônica,
Citação
Coleções